O vereador Delermano Suim (Patriota), de São Mateus, no Norte do Espírito Santo, teve o mandato cassado pela Justiça Eleitoral nesta quinta-feira (26).

O partido de Suim foi denunciado por supostamente fraudar a cota de gênero na eleição de 2020. O parlamentar pode recorrer ao Tribunal Regional Eleitoral do Espírito Santo (TRE-ES).

A cota de gênero determina que as legendas podem registrar o máximo de 70% de candidaturas de um gênero e, no mínimo, 30% do outro. Na prática, a lei visa garantir o mínimo de 30% de candidaturas femininas na disputa por vagas do Legislativo.

No pleito de 2020, o Patriota de São Mateus registrou 17 candidatos, sendo 11 homens e seis mulheres. Ou seja, o número de candidaturas femininas chegou a 35%, respeitando a cota determinada.

A juíza Thalita Campos Trevisan, da 21ª Zona Eleitoral, no entanto, ressaltou na decisão que as candidatas tiveram votação pífia, sendo que duas receberam apenas um voto e outra nenhum. Além disso, a magistrada destacou que as candidaturas registraram baixa movimentação financeira.

Diante da suspeita de fraude, a juíza anulou os votos recebidos pela chapa do Patriota no pleito municipal e, consequentemente, cassando o mandato de Suim. Como a decisão é de primeira instância, o parlamentar pode recorrer ao TRE-ES.

O que diz o vereador

Por nota, Delermano Suim afirmou que foi "surpreendido" pela notícia, que chamou de "injusta e deveras triste". Disse ainda que foi eleito de forma honesta e que vai recorrer até a última instância, se for preciso, para continuar seu mandato.

"Quero deixar claro que disputei uma eleição em 2016 e não fui eleito apesar de uma expressiva votação. Em 2020 fui convidado para disputar o pleito no partido Patriotas, e aprouve Deus que fosse eleito e venho exercendo meu mandato com honestidade e profundo amor pelo povo da minha cidade. (...) Afirmo e reafirmo que fui eleito de forma honesta, limpa e com apoio dos amigos, e lutarei incansavelmente e até onde Deus permitir para me manter no mandato que me foi conferido pela pia batismal do voto pelo povo mateense, já estou atento do Recurso ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), e agradeço o apoio incondicional do prefeito Daniel, que afirmou que não medirá esforços para evitar esta grande injustiça. Quero deixar expresso que recorremos até a última instância se for necessário, não abriremos mãos de um mandato conferido pelo povo, e conto com as orações e apoio de todos. Os que confiam no Senhor são como os montes de Sião que não se abalam, mas permanece para sempre (Salmo 125). Que Deus nos abençoe em mais essa batalha", diz a nota.

Por Ana Clara Morais, G1 ES


Deixe seu Comentário