Condutora vitoriosa da campanha de todos os govenadores eleitos no Espírito Santo a partir de 1990, a jornalista e marqueteira política Bete Rodrigues faleceu na noite desse domingo (12), aos 69 anos, em seu apartamento na Praia do Canto, em Vitória.

Bete estava deitada, quando começou a passar mal, sendo o pedido de socorro acionado por um dos seus três filhos, Pedro Roque. O enterro será na tarde desta segunda-feira (13), no cemitério Jardim da Paz, na Serra.

Bete Rodrigues foi um das pioneiras no marketing político no Espírito Santo, depois de trabalhar como jornalista em A Gazeta, onde foi editora de Internacional, na década de 80. A partir de 1990, com a eleição de Albuínio Azeredo ao governo do Estado, ganhou projeção no mercado e conduziu as campanhas dos governadores que o sucederam: Vitor Buaiz, em 1990, José Ignácio Ferreira, 1998, e Paulo Hartung em 2002.

Com a Casamarela, empresa de marketing político, ela fez campanhas em várias cidades do Espírito Santo e também em outros estados. Entre as últimas, a do ex-prefeito de Vitória João Coser (PT), no ano passado. 

Bete também coordenou o marketing de campanhas em diversos municípios do extremo sul baiano, como Teixeira de Freitas e Mucuri.

A jornalista foi ainda uma das fundadoras do curso de Comunicação Social do Espírito Santo (Ufes) e criou, em 2014, um jornal eletrônico chamado Leia-se, que teve um ano de duração.

A morte de Bete Rodrigues repercutiu nos meios jornalísticos e político. O governador Renato Casagrande publicou em suas redes sociais: "Recebi com muita tristeza a notícia do falecimento da jornalista e publicitária, Bete Rodrigues. Uma profissional de grande competência, cuja genialidade marcou o marketing político no Espírito Santo. Trabalhamos juntos em duas ocasiões. Meus sentimentos à família e aos amigos".

Da Redação, com informações de S. Diário



Deixe seu Comentário